Vereadora Fabiane nega acusações da prática de “rachadinha”

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

A vereadora Fabiane Rosa (PSD), que  participou nesta segunda-feira (17) pela primeira vez após ter saído da prisão de sessão remota da Câmara Municipal de Curitiba, negou todas as acusações. “Em nenhum momento eu me apropriei do que não é meu; em nenhum momento eu fiz as coisas de que estou sendo acusada”, disse. Ela foi presa pelo Gaeco sob suspeita da prática de “rachadinha” em seu gabinete, envolvendo duas ex-assessoras.

A Corregedoria da Câmara Municipal de Curitiba (CMC) já apresentou uma representação contra Fabiane Rosa (PSD) no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do legislativo. Ela preside o conselho, mas como será julgada, Fabiane Rosa vai ser considerada impedida. Nesse caso, o vereador Bruno Pessuti (Podemos) passaria a presidir o conselho.

Fabiane Rosa foi denunciada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) por concussão e peculato. Ela foi suspensa temporariamente do Partido Social Democrático (PSD).

No último dia 11, o Tribunal de Justiça do Paraná decidiu que Fabiane Rosa, até então presa na Penitenciária Feminina de Piraquara, deixasse a cadeia e passasse a cumprir prisão domiciliar, o que não a impede de participar das sessões virtuais. (Com informações da CBN).

 

Deixe uma resposta