Uma ponte para o passado (2)

O engenheiro Paulo Ferraz, que foi chefe do escritório da Rede Ferroviária Federal (RFFSA) no Paraná e Santa Catarina, e um dos maiores entusiastas e militantes da causa da preservação da história das ferrovias brasileiras e, em especial, paranaenses, envia detalhes sobre o projeto técnico da Ponte Preta, patrimônio ameaçado de remoção – segundo denunciou o arquiteto Key Imaguire:

O engenheiro Raul Ozório de Almeida, filho do autor do projeto da Ponte, destaca que foi  primeira obra no mundo com sistema de contrapeso de concreto nas pontas da estrutura de ferro para garantir a estabilidade. Pelo pioneirismo do projeto a empresa americana que forneceu a estrutura exigiu um termo de responsabilidade do engenheiro Roberto Sampaio Ozório de Almeida.

Apoiada em pilares de cantaria, sua estrutura principal compreende três vigas, com altura variável – 2,530m nos apoios e 1,520m no centro do vão, com contrapesos de concreto armado destinados a reduzir os movimentos no vão central. O comprimento total da ponte é de 32,893m, sendo que o vão central possui 21,285 m e os laterais 5,804. A distância entre as vigas principais é de 5,00 m. A altura máxima era de 4,50 m.

Tombada pelo estado do Paraná em 13/08/1976 através da inscrição n. 56 – II do Tombo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui