TCE-PR e TCU atuarão juntos para a conclusão de obras federais paralisadas

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Os Tribunais de Contas do Estado  (TCE-PR) e da União (TCU) atuarão de forma conjunta para estimular a conclusão de obras federais que estão paralisadas no Paraná. Levantamento recém-concluído apontou a existência de 228 obras federais paradas no estado, com investimento total de R$ 316 milhões. Elas representam 18,6% das 1.233 obras executadas com verba federal no Paraná e 11,4% do valor total, que soma R$ 2,76 bilhões.

Com o objetivo de articular ações de fiscalização neste sentido, servidores do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) se reuniram, nesta segunda-feira (29 de novembro), com o secretário do Tribunal de Contas da União (TCU) no Paraná, o auditor federal de controle externo Luiz Gustavo Gomes Andrioli.

Representaram o TCE-PR na reunião, realizada por videoconferência, os auditores de controle externo Cláudio Henrique de Castro, coordenador-geral de Fiscalização; Lincoln Santos de Andrade, titular da Coordenadoria de Obras Públicas (COP); Alexandre Cardoso Dall Ross, do Núcleo de Fiscalização da CGF; e Felipe Castro Garcia, engenheiro da COP.

“Estamos nos articulando com o TCU com o objetivo de contribuir para que as obras atualmente paralisas no Paraná sejam concluídas o mais rápido possível e gerem benefícios à população”, afirma coordenador-geral de Fiscalização do TCE-PR. O levantamento preliminar que apontou a existência de 228 obras federais paralisadas no estado foi realizado pela COP e tomou como base o mês de outubro deste ano.

Obras municipais

A parceria com o TCU amplia, para a esfera federal, o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo TCE-PR com o objetivo de concluir as obras municipais paralisada. Iniciativa semelhante será realizada também no âmbito das obras custeadas pelo cofre estadual.

Após levantamento que identificou mais de 350 obras municipais paralisadas, o TCE-PR passou a cobrar dos gestores, por meio de reuniões e visitas técnicas, providências para a retomada dessas construções. Com o objetivo de orientar gestores e técnicos, a COP elaborou a Cartilha de Obras Paralisadas, já publicada no site do Tribunal, com as principais orientações e também o passo a passo básico para a atualização das informações relativas a obras nos sistemas informatizados da corte.

Levantamento concluído em meados de outubro apontou a existência de, pelo menos, 355 obras municipais paralisadas no Paraná, que somam investimento público superior a R$ 365,7 milhões. São edificações (como escolas, creches, unidades básicas de saúde), obras de pavimentação, saneamento e iluminação pública, localizadas em 121 dos 399 municípios do estado.

As principais causas da paralisação apontadas pelos gestores municipais foram o descumprimento das obrigações contratuais pelas empresas contratadas (36% dos casos) e a necessidade de alterações em projetos ou na execução de serviços não previstos inicialmente (25%). Do TCE-PR.

Deixe uma resposta