Prudência e caldo de galinha…

A nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que nesta manhã assume o cargo que foi de Rodrigo Janot até este domingo (17), prefere seguir o velho ditado popular segundo o qual “prudência e caldo de galinha não fazem mal a ninguém”. Por isso, vai criar uma estrutura só para revisar as delações e não repetir casos como o de Joesley. Veja o que diz a coluna Painel, da Folha de S.Paulo:

Sem pirotecnia Pessoas próximas à nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, dizem que, em seu discurso de posse, nesta segunda (18), ela criticará vazamentos e ressaltará os danos de condenações midiáticas. Também defenderá o respeito ao devido processo legal e levantará a bandeira da harmonia entre os Poderes.

Em revista A colegas do Judiciário, Dodge explicou que a decisão de criar uma estrutura para revisar delações não tem conexão com caça às bruxas. Ela quer encontrar lacunas para novas investigações. Disse ter medo que, só com os relatos, as acusações não parem de pé.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui