Professores decidem pela suspensão da greveAssembleia dos servidores estaduais da educação, realizada na manhã deste sábado (13) defronte ao Palácio Iguaçu, aprovou a suspensão da greve deflagrada dia 25 de junho, apesar de a proposta do governo de reajuste parcelado dos salários e abaixo da pretensão do funcionalismo ter desagradado a categoria.

A avaliação da maioria (60%) dos presentes foi de suspensão do movimento, mas com continuidade das mobilizações para que as propostas sejam efetivadas e ainda solicitar ao governo avanço em alguns pontos.

Segundo o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão, “a maioria compreendeu que a greve foi um movimento vitorioso pela organização da categoria e a unidade dos servidores”, embora considere que a proposta seja insuficiente, principalmente quanto ao reajuste. “Discordamos dos números do governo e vamos continuar acompanhando a evolução da receita que já apresenta crescimento”, avalia o presidente.

Os servidores retornam às atividades a partir de segunda (14) e irão debater com a secretaria da Educação um calendário de reposição dos dias parados. O governo informou que não haverá desconto nos salários.

Uma nova assembleia ficou definida para o dia 10 de agosto, logo após o retorno do recesso da ALEP. O objetivo será acompanhar o projeto sobre o reajuste e o andamento de outros pontos da proposta. Caso eles não sejam efetivados, a categoria pode aprovar o retorno à greve.