Início Saúde Professor emérito da UFPR recebe prêmio por contribuição para medicina mundial

Professor emérito da UFPR recebe prêmio por contribuição para medicina mundial

O médico hematologista Ricardo Pasquini, aposentado do Complexo Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (CHC-UFPR/Ebserh), recebeu o Mechtild Harf Science Award. A honraria é concedida, desde 2001, pelo DKMS Stiftung Leben Spenden (Fundação para Dar Vida) e tem como objetivo reconhecer o trabalho científico e a pesquisa de médicos de renome internacional no campo do transplante de células-tronco.

O prêmio é uma forma de incentivo aos médicos, e reconhecimento daqueles que, de alguma forma, promoveram o progresso da área, contribuindo para terapias aperfeiçoadas e inovadoras que objetivam proporcionar aos pacientes maiores e melhores chances de vida a longo prazo.

O Prof. Pasquini foi agraciado com o prêmio tendo em vista suas notáveis realizações em hematologia e pelo pioneirismo no transplante de medula óssea no Brasil e na América Latina. Com seu trabalho em anemia plástica e leucemia mieloide crônica, ele fez contribuições seminais para o desenvolvimento internacional de inibidores de tirosina quinase.

A premiação destaca, ainda, o importante papel de sua trajetória como médico, professor e pesquisador da Universidade Federal do Paraná e do Hospital de Clínicas da UFPR.

História

Pasquini já realizou cerca de 4 mil transplantes de medula óssea. Formou centenas de profissionais que hoje também são referência na área. E, mesmo aposentado, como professor emérito da Universidade Federal do Paraná, reúne-se duas vezes por semana com estudantes e residentes para discutir casos clínicos.

Sua carreira confunde-se e funde-se com a história do transplante de medula óssea no Brasil. Isso porque Ricardo Pasquini, juntamente com o médico Eurípedes Ferreira, em 1979, mudavam o caminho da medicina brasileira e realizavam, no Hospital de Clínicas da UFPR, um feito inédito na América Latina: o primeiro transplante de medula óssea.

O Complexo do Hospital de Clínicas da UFPR celebrou, em 2019, os 40 anos do pioneirismo e a inovação do Transplante de Medula Óssea do HC, com uma série de reportagens.

O Serviço de Transplante de Medula Óssea (STMO) é pioneiro por ter sido o primeiro a realizar um transplante de medula óssea na América Latina. A história do TMO no CHC envolve a Federal do Paraná, institutos de assistência, parceiros internacionais e milhares de pacientes curados por conta da persistência da equipe e da liderança acadêmica do professor e pesquisador Ricardo Pasquini. O médico viu o Hospital crescer, ampliar seus serviços e participou das principais questões regulatórias referentes ao transplante no Brasil.

O material está dividido em quatro partes que resgatam o histórico de pioneirismo, a importância e o protagonismo dos pacientes, a inovação possibilitada pelo espírito científico e o compromisso do HC, um Hospital Escola, em prestar um serviço de excelência.

Em 2012, na passagem do Dia do Médico, o Dr. Ricardo Pasquini recebeu do CRM-PR o Diploma de Mérito Ético-Profissional pelos 50 anoas de formado alcançados de forma exemplar.( Da UFPR e CRM-PR; foto: arquivo pessoal).

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile