Policiais fazem carreatas para cobrar data-base congelada desde 2016

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

A União das Forças de Segurança Pública do Paraná (UFS) faz nesta terça-feira (25) carreatas simultâneas em seis cidades do Estado, entre elas Curitiba. Os servidores da Segurança Pública cobram do governo Ratinho Junior a valorização da classe, especialmente com o pagamento da data-base, que está congelada desde 2016. A informação é de Luiz Henrique de Oliveira, da rádio Banda B.

Em Curitiba, a carreata começa no Parque Barigui (Museu do Automóvel) com concentração às 10 horas e saída às 12 horas, com destino ao Palácio Iguaçu, reunindo policiais civis, policiais e bombeiros militares, policiais científicos e policiais penais.

Cinco anos – O presidente do Sindicato das Classes Policiais Civis do Estado do Paraná (Sinclapol), Kamil Salmen, disse à Banda B que a categoria não pode esperar mais pelo reajuste. “Estamos há cinco anos sem receber a data-base. Isso só acontece com os servidores da Segurança, professores e pessoal da Saúde. Isso não é aumento de salário, é um reajuste anual que deve ser pago. O reajuste já chegou a 30%. Hoje, o policial trabalha um ano e recebe só nove meses. É um absurdo o que está acontecendo”

Kamil Salmen afirmou também que a categoria precisa ser ouvida pelo Governo do Paraná. “Estamos tentando chamar a atenção para o governador nos receber, porque ele nos disse que isso aconteceria quando foi eleito. As entidades de classe estão sendo tradadas como inimigas. A carreata terá uma grande adesão, seguindo todos os protocolos sanitários devido à covid-19”

O presidente do Sinclapol informou que o policial trabalha sob pressão.

“A polícia hoje está doente, porque estamos trabalhando com menos policiais e a pressão psicológica está grande. Policiais com covid-19, tendo que tomar remédios controlados e acreditamos que a Polícia Civil está abandonada. Hoje, o policial não tem mais ânimo de ser policial”. (Da Banda B).

 

Deixe uma resposta