Para Mourão, Gilmar “forçou a barra” ao criticar militares na Saúde

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

O vice-presidente da República,Hamilton Mourão,  afirmou nesta segunda-feira (13) que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)  Gilmar Mendes “passou da linha da bola” e “forçou a barra” com suas declarações que associaram o Exército brasileiro a um genocídio por causa da crise provocada pela pandemia do coronavírus covid-19.

Segundo jornal Folha de S. Paulo, Mourão disse que “o ministro não foi feliz. Aí vou usar uma linguagem do jogo de polo: ele cruzou a linha da bola, ao querer comparar com genocídio o fato das mortes ocorridas aqui no Brasil na pandemia, querer atribuir essa culpa ao Exército, porque tem um oficial general do Exército como ministro interino da Saúde”, disse o vice-presidente
“Ele forçou uma barra aí que está criando um incidente com o Ministério da Defesa”, completou, em referência à decisão de se processar Gilmar Mendes via Advocacia-Geral da União (AGU).

 

Deixe uma resposta