Moro não poderá advogar para clientes de consultoria

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

O ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro, que virou sócio-diretor da empresa Alvarez & Marsal, não poderá prestar serviços jurídicos a clientes da consultoria. É o que diz notificação do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB de São Paulo ao ex-magistrado.

Se prestar serviços de assessoria e consultoria jurídica a clientes da empresa, Moro pode ser alvo de medidas administrativas e judiciais.

A Alvarez & Marsal  trabalha na recuperação judicial do Grupo Odebrecht, OAS e outras empreiteiras investigadas na Lava Jato. Elas foram alvo da Operação quando o ex-juiz estava à frente dos processos da Lava Jato, em primeira instância. Depois que foi anunciado como sócio-diretor da consultoria, Moro disse que a nova função não se caracterizava como advocacia e que ele não iria atuar em casos de “potencial conflito de interesses”. 

Moro está inscrito na seccional Paraná da OAB. A Alvarez & Marsal informou que “Moro vai atuar na área de ‘Disputas e Investigações’”. Segundo a consultoria, “o foco do trabalho será ajudar empresas clientes no desenvolvimento de políticas antifraude e corrupção, governanças de integridade e conformidade e políticas de compliance”.

 

1 comentário em “Moro não poderá advogar para clientes de consultoria”

Deixe uma resposta