Ministro propõe punição a estudante com nota baixa no Enade

Durante entrevista na manhã desta sexta-feira (4) para anunciar o resultado da última edição do ” do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), que avalia, a cada três anos, o rendimento de graduandos do ensino superior do país. o ministro da Educação, Abraham Weintraub, propôs que alunos que não acertarem ao menos 10% da prova não possam se graduar.”Hoje, a lei não nos permite punir uma pessoa que não acerta ao menos 20% da prova. Nossa vontade é que esse aluno não pudesse se formar”, disse. “Ainda não temos como fazer isso, mas é um projeto do governo Bolsonaro e, ao longo dele, vamos arrumando essas situações esdrúxulas”.

Mais de 2,5 mil de cursos avaliados, 29% do total, obtiveram desempenho considerado abaixo da média, ou seja, conceito 1 e 2. Destes, 1.397 são ofertados por instituições privadas com fins lucrativos e 864 por faculdades privadas sem fins lucrativos. O Enade é de responsabilidade do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Um dos dados que mais chama a atenção nesta última edição é o índice de cursos de faculdades privadas que alcançaram conceito máximo, 5, no Enade 2018: apenas 3,3%. De um total de 7.276 cursos de instituições privadas, apenas 240 obtiveram essa nota. A escala de classificação vai de 1 a 5. Na rede pública, por outro lado, mais de 20% dos cursos alcançaram o conceito máximo. Do total de cursos avaliados, 8.520, apenas 5,8% foram avaliados com nota 5.

De acordo com o ministro Abraham Weintraub, além disso, a pasta não percebe uma “diferença significativa” entre os resultados de cursos presenciais e a distância. “Não há preocupação quanto a qualidade dessas duas modalidades”, disse. Mais de 300 cursos de graduação do país ficaram sem conceito nesta última edição do Enade.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

%d blogueiros gostam disto: