Ministro exonera delegada federal nomeada por Sergio Moro

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça,  exonerou a delegada federal Erika Marena do cargo de diretora do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional da Secretaria Nacional de Justiça. A exoneração foi publicada no Diário Oficial da União”(DOU) desta sexta-feira (26).

Quando foi escolhida pelo então ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro para assumir a diretoria, Erika Marena era superintendente da Polícia Federal em Sergipe. Ela participou da Operação Lava Jato desde o início e, inclusive, deu o nome da operação, que investigou doleiros e empresários.

Marena também foi delegada da divisão de repressão a crimes financeiros em São Paulo e em Curitiba; e comandou a divisão de combate à corrupção e desvio de verbas públicas em Santa Catarina.

Ouvidos Moucos – Em 2017, a delegada Erika foi a responsável pela controversa Operação Ouvidos Moucos, que resultou na prisão do reitor da Universidade Federal de Santa Catarina  (UFSC) Luiz Carlos Cancellier , acusado de tentativa de obstrução de justiça. Motivada por denúncias do então corregedor da UFSC, bem como, de outros membros do corpo docente da Universidade, a operação teve como objetivo investigar o desvio de recursos ao longo de diversas gestões. Após ter pedido de prisão representado pela Polícia Federal (PF), Cancellier foi preso e afastado do cargo e da universidade, numa operação que contou com 115 policiais federais. Cancellier não tinha antecedentes criminais. Após ser liberado com um habeas corpus, apenas condicionado a sua não ida ao campus, ele se suicidou. O caso foi arquivado por falta de provas contra o reitor.

O Ministério da Justiça investigou a participação dela no caso, e apôs três pareceres concordantes decidiu arquivar a sindicância, por falta de provas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui