Greca pede suspensão de repasses para a previdência municipal; Câmara aprova aumento

Um substitutivo ao projeto de lei do prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM), que aumenta a contribuição previdenciária do funcionalismo público municipal, dispõe sobre a suspensão do repasse de valores da prefeitura ao regime próprio da previdência. Ao mesmo tempo, a nova mensagem do prefeito pede o parcelamento desse repasse em até 60 vezes.

O substitutivo gerou uma série de debates entre os vereadores. E, do lado de fora da Câmara Municipal de Curitiba, funcionários realizaram na manhã desta segunda-feira (29) um protesto contra a elevação da alíquota de contribuição para a previdência municipal.

Na justificativa, Greca informa que” o substitutivo, que suspende temporariamente as contribuições patronais do Município ao Regime Próprio de Previdência Social, compreende um rol de medidas que visam o equilíbrio econômico-financeiro dos entes federativos para o melhor enfrentamento das ações necessárias de combate ao Coronavírus SARS-CoV-2 (Covid-19) e seus efeitos econômicos e sociais.

Na manhã desta segunda-feira(29), a Câmara Municipal de Curitiba (CMC) , em sessão virtual, aprovou  o aumento no desconto previdenciários dos servidores municipais. Antes, o Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (Sismmac)  realizou um protesto em frente à Câmara Municipal de Curitiba. Para o sindicato, o reajusto da alíquota de 12,5 para 14% representa uma perda no salário dos servidores que estão há três anos com os salários e carreiras congeladas. Pela legislação em vigor, o aumento da alíquota para 14% só pode ocorrer em 2023.

 

 

 

1 COMENTÁRIO

  1. Prefeito Greca, sou seu fã e votarei em vc para qualquer cargo. Agora vamos lá, se vc pediu, eu acredito, porque tem eleição e vc não faria para prejudicar a população, ainda mais nesse momento de pré-eleição. só faz isso quem sabe que vai ganhar. Tenho certeza que povo assim que passar Pandemia, vai culpá-lo por tudo, sem dó nem piedade.
    Está pensando em deixar saneado para o próximo Gestor, que pode não se vc, tomara que não aconteça. Acho essas medidas necessárias, o que eu questiono são nossos funcionários, porque a tendência é essa, na reforma da previdência já tem os 14%, para mim aposentado também, então porque nossos Barnabés não deve ser afetados? Talvez tenha uma alternativa, diminuía o numero de Cargos em Comissão, daqueles que não trabalha, sabemos que tem bastante desses e traga para esses vagas os funcionários, agora traga apenas aqueles que estão dentro dos 60% que trabalham, porque o restante, ou seja, 40% não trabalham e isto é assim em qualquer, Município, Estado e União. Sobre os Cargos em Comissão não sou contra, deveria assim que fosse nomeá-los, publicado junto, Nome do Projeto, Qual remuneração, Suas Competências, forma de acompanhamento e os resultados esperados e etc. e serão cobrados pela sociedade. Que pena, que as pessoas só quer aquilo que é bom para elas, fazem gestão em causa própria, mas é contra quando um politico faz isso. Esquece que fazer gestão é também abrir mão de algum benéfico, em atenção aos outros.

Deixe uma resposta