Amanhã, quarta-feira (21) vai completar uma semana que os 700 procuradores e promotores do Ministério Público Estadual elegeram a lista da qual o governador escolheria um nome para nomear o Procurador Geral de Justiça. O atual, Ivonei Sfoggia, teve votação esmagadora. Conseguiu mais de 80% dos votos.

E o normal é que, no máximo um dia após o resultado da eleição, Beto Richa já tivesse assinado decreto reconduzindo-o ao cargo. Tem a prerrogativa também – embora inusual – de nomear um dos dois outros componentes da lista, no caso os procuradores Leonir Batisti e Marcos Fowler, segundo e terceiro mais votados, respectivamente.

Até agora, no entanto, o Palácio Iguaçu não dá sinais de pressa. Correm explicações para isso. O governador e seu staff mais poderoso ainda não engoliram uma tentativa de Sfoggia de alterar regras para a participação do Ministério Público no orçamento do estado visando a possibilitar à instituição o aumento de suas despesas.

Mas há um outro fator que deixou Beto Richa ainda mais aborrecido. Chegou-lhe aos ouvidos que Ivonei Sfoggia tem feito comentários públicos contendo críticas a ele. Um exemplo foi registrado por uma gravação feita dia 23 de fevereiro, num evento de sua campanha para se reeleger, em que o procurador discorreu a um grupo de colegas sobre suas impressões a respeito de Beto Richa.

Estão gravadas, entre outras opiniões de Sfoggia, as seguintes palavras:

O Richa não tem muita noção. O Governador é uma pessoa assim, não tenho amizade, tive pouco contato. Tenho uma idéia dele, pode ser que eu me equivoque.

Ele não é uma pessoa do mal, é uma pessoa do bem, não é uma pessoa que te sacaneia assim, é uma pessoa boa, é uma pessoa que te atende, mas não tem noção do que tá acontecendo, sabe. Você vai falar sobre qualquer tema, ele não tá muito… não sabe.

[Risos e comentários dos interlocutores]

Mas eu quero dizer assim. Por exemplo, você vai conversar com o Governador do Estado sobre orçamento, ele não domina. Tá, tudo bem, é uma questão mais…, tá, tá bom. Você vai conversar sobre presídio, ele não tem domínio. Você vai conversar sobre sócio-educação, ele nem sabe o que é. Então é assim.

[Risos e comentários dos interlocutores]

É para isso que ele tem os seus secretários, só que daí ele teria  que ter escolhido secretários mais ágeis, melhores. Por exemplo, ele me disse, agora, foi um conversa que eu tive com ele faz menos de um mês, ele me disse assim, é, ele não sabe se se afasta ou não para ser senador, está com medo de ficar sem foro, e ele me disse assim: “Pois é, eu não sei se eu saio. Se eu sair, eu deixo o caixa cheio de dinheiro, porque o Estado tem, hoje, bilhões em caixa, não falta dinheiro no caixa do governo, é bilhões, no caixa do governo. Eu não o que eu faço. Eu não sei onde gastar o dinheiro porque hoje não tem projeto”. Ele me disse “Eu deveria ter criado uma comissão para fazer projetos”. E eu disse “Não é isso, Governador, você deveria ter Secretários mais competentes nas Secretarias, que teriam projetos nas suas áreas. É isso que falta”. É que os caras são ruins mesmo. “É, você já me disse isso”. O governador não é uma pessoa ruim. Não escolheu bem seus secretários.

É claro que Beto Richa não gostou nada de ouvir essas críticas, vindas do Procurador Geral de Justiça. O governador espera, no mínimo, desculpas públicas.