Forças Armadas dizem que não pediram acesso diferenciado a 385 urnas

O Ministério da Defesa desmentiu nesta terça-feira (13), em comunicado oficial, uma matéria do jornal  Folha de S. Paulo veiculada nessa segunda-feira (12), sobre um suposto plano dos militares para fazer uma apuração paralela à do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 385 urnas.

“As Forças Armadas não solicitaram qualquer permissão de acesso diferenciado em tempo real aos dados enviados para a totalização do pleito eleitoral pelos Tribunais Regionais Eleitorais (TRE), cuja realização é competência constitucional da Justiça Eleitoral”, escreveu a pasta, em nota à imprensa.

Os militares ainda ressaltaram que “não demandam exclusividade e tampouco protagonismo em nenhuma etapa ou procedimento da fiscalização do sistema eletrônico de votação”, e que pautam a sua atuação pela estrita observância da legalidade, pela realização de um trabalho técnico e pela colaboração com a Corte eleitoral. (De O Antagonista).

1 COMENTÁRIO

  1. Por que as FA não cuidam das fronteiras que virou terra de ninguém, principalmente na Amazônia, que é sua obrigação constitucional, em vez de se preocuparem com urnas que não é sua competência?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

%d blogueiros gostam disto: