Deputado diz que Alep mantém sistema híbrido até o fim do ano

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
O deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB) afirmou nesta terça-feira (27) que a Assembleia Legislativado Paraná (Alep)  deve retomar os trabalhos presenciais de forma plena apenas no ano que vem. Até o final do ano, deve ser mantido o sistema híbrido das sessões plenárias, com parte dos deputados participando dos debates por meio de uma plataforma tecnológica.

A pandemia de covid-19, diz Romanelli, trouxe lições e mudanças de paradigmas. Em razão disso, o legislativo estadual mudou sua forma de atuação, mas sem prejuízos aos trabalhos. “Não houve prejuízo ao processo democrático. Seguimos trabalhando e o que interessa é o resultado do processo. Aprovamos leis importantes para dar sustentação ao enfrentamento da pandemia”.

O deputado ressaltou que, além das sessões plenárias, todos os deputados e deputadas participaram de discussões importantes de modo virtual, respeitando as recomendações sanitárias. “Até que seja seguro para todos é necessário manter os cuidados”, avalia. Para Romanelli, isso vale para todos os setores. “Espero que pelo menos até o Natal as famílias possam se reunir para comemorar o fim da pandemia”.

Retomada – Romanelli destacou que a Assembleia Legislativa promoveu debates sobre diversos temas de interesse público ao longo do primeiro semestre, pontuando as audiências públicas sobre o pedágio e sobre a covid. A respeito das novas legislações, salientou os projetos que contribuem para a retomada da economia, que envolveram benefício fiscais, linhas de crédito, desburocratização e auxílio emergencial para empreendedores.

“O governo estadual tem sido muito sensível, assim como a Assembleia, às demandas da sociedade e modulado as medidas conforme as necessidades. As ações vão fazendo com que a economia se desenvolva”, informa Romanelli. “Esperamos que a conclusão do processo de vacinação traga a normalidade e possamos avançar na geração de empregos. Quanto mais imunização, mais rápido haverá a retomada da normalidade”.

Deixe uma resposta