Decreto de Curitiba serve de base para ações de controle da pandemia na Região Metropolitana

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Em reunião por videoconferência realizada nesta segunda-feira (15), a Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) aprovou uma minuta de decreto que deve servir de base para todos os municípios da Grande Curitiba ampliarem as restrições neste momento de agravamento da covid-19.

A base do documento é o decreto municipal nº 565/2021, que entrou em vigor no último sábado (13). A tendência é a de que os municípios façam os ajustes necessários de acordo com a realidade de cada cidade.

“Somos uma cidade só e precisamos ter responsabilidade comum”, destacou o prefeito Rafael Greca, que é presidente da Assomec. “Por isso, rogo a todos os meus colegas prefeitos da Grande Curitiba que adotem as medidas restritivas estabelecidas pela capital.”

Apesar de reconhecer que o remédio é amargo, o prefeito avalia que quanto mais alinhadas estiverem as ações da Região Metropolitana melhores serão os resultados no combate à pandemia. “Não tem sentido uma cidade restringir atividades e outras deixarem livre. Aí o vírus vai continuar circulando”, disse o prefeito.

“Se tivermos êxito em frear a propagação do vírus, todos colheremos os resultados positivos mais rapidamente e mais rapidamente poderemos voltar à normalidade nas cidades. Será uma demonstração de amor à vida e ao nosso povo”, afirmou.

Greca lembrou que o prefeito reeleito de Campo Largo, Marcelo Puppi, morreu em decorrência da covid-19, num exemplo claro e próximo da gravidade da doença. Maurício Rivabem, que assumiu no lugar de Puppi, apoia medidas integradas.

O encontro por videoconferência teve a participação de prefeitos, secretários e representantes de 29 municípios da RMC, bem como do vice-prefeito Eduardo Pimentel; da secretária municipal de Saúde, Márcia Huçulak; da assessora especial do gabinete do Prefeito de Curitiba, Cibele Fernandes Dias; do deputado federal Ricardo Barros, líder do governo federal na Câmara; do médico Vinicius Filipak, diretor-geral da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa); e da médica Acácia Maria Lourenço Francisco Nasr, coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesa.

“Todos estamos unidos e agradeço a sensibilidade dos prefeitos da RMC de apoiar as medidas restritivas fundamentais para salvarmos vidas”, disse Pimentel, que é coordenador municipal de Ações Integradas com a Região Metropolitana de Curitiba.

A expectativa é de que as prefeituras da RMC publiquem seus decretos ainda nesta segunda-feira (15/3).

Mais recurso- Convidado a participar do encontro on-line da Assomec, o deputado federal Ricardo Barros se colocou à disposição dos prefeitos da RMC para levar suas demandas para o governo federal. Ele afirmou ainda que está trabalhando para reeditar o decreto de calamidade pública, aprovado pelo Congresso no ano passado, para garantir mais recursos emergenciais para a saúde. “Assim, teremos mais recursos para ampliarmos a oferta de enfermarias, UTIs  e insumos no combate à pandemia”, previu o líder do governo na Câmara de Deputados.

Participaram da reunião por videoconferência os prefeitos Helder Lazarotto (Colombo), Luiz Antônio Biscaia (Mandirituba), Nassib Hammad (Fazenda Rio Grande), Gerson Colodel (Almirante Tamandaré, que coordenou o encontro), Claudio Casagrande (Campo Magro), Everton Vizentin (Campo do Tenente), Josima Fróes (Piraquara), Neneu Artigas (Itaperuçu), Jesse Zoellner (Agudos do Sul), Maicon Grosskoff (Piên), José Moreira (Tijucas do Sul), Marcos Zanetti (Balsa Nova), José Moura (Quitandinha), Karime Fayad (Rio Branco do Sul), Maurício Rivabem (Campo Largo), Patrick Magari (Cerro Azul), Margarida Singer (São José dos Pinhais), James Valério (Rio Negro) e Bihl Zanetti (Campina Grande do sul) . Também acompanharam  secretários e técnicos de Dr Ulysses, Bocaiúva do sul, Pinhais, Contenda, Quatro Barras, Tunas do Paraná, Araucária e Adrianópolis.

 

Deixe uma resposta