De Paraíso para o mundo

(por Ruth Bolognese) – É doce estar em Paraíso: a mesma Praça, o mesmo banco e o Norte em todos os jardins. Minhas plantas cobrem de flores essa Primavera acima dos 30 graus. Tudo tão em paz, como se eu estivesse saído daqui ontem.

Agora, é andar pelas ruas e ir dizendo “Bom dia” pra todo mundo. A maioria das pessoas nunca conversou comigo, alguns sabem que sou a mãe ou a avó de alguém que conhecem. Mas todos respondem ao cumprimento como se fosse um dever da mais alta relevância. Agradeço o mimo social e sinto que cheguei de verdade. É doce ficar em Paraíso do Norte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui