Está praticamente confirmada a data de 1.º de fevereiro para a vinda a Curitiba do presidente Jair Bolsonaro, seguindo calendário que o fará visitar pelo menos 21 capitais e grandes cidades brasileiros à cata de assinaturas de filiação para a criação do Aliança para o Brasil – o partido no qual pretende aglutinar seus seguidores.

A ideia é conseguir arregimentar as 492  mil assinaturas exigidas pela legislação necessárias à oficialização de novos partidos, e conseguir do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o reconhecimento da legenda até o fim de março, a tempo ainda de formar diretórios, realizar convenções e lançar candidatos a prefeitos e vereadores nas eleições municipais de outubro próximo.

Os primeiros eventos acontecerão em Brasília (DF) e João Pessoa (PB) no dia 18. Os dois últimos estão previstos para 16 de fevereiro no Rio de Janeiro (RJ) e em Palmas (TO) até meados de fevereiro.

O Aliança prepara estrutura para receber um número mínimo de 2 mil apoiadores em cada encontro, que também deve ter a presença de deputados federais, do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), filho do presidente, e de dirigentes do partido em formação.

Os eventos devem seguir um roteiro. Os encontros vão começar com a execução do hino nacional, seguida por uma oração. Após a oração, será feita a apresentação das autoridades e lideranças que compõem a mesa. Em seguida, uma liderança fará breve explicação sobre os valores do partido e será aberto espaço para perguntas do público.

Se Bolsonaro não estiver presente, será exibido um vídeo feito exclusivamente para aquela localidade. Uma das ideias é colocar o presidente ao vivo, por meio de lives, em conversa direta com os apoiadores. Encerrada a participação de Bolsonaro, os coordenadores locais darão início às coletas de assinatura de apoio ao partido em formação nas mesas de atendimento.