O presidente Jair Bolsonaro pediu para os seus militantes não darem munição “ao canalha,  que momentaneamente, está livre”. Não citou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva diretamente, mas  disse no Twitter na manhã deste sábado (9):

“Amantes da liberdade e do bem, somos a maioria. Não podemos cometer erros. Sem um norte e um comando, mesmo a melhor tropa, se torna num bando que atira para todos os lados, inclusive nos amigos. Não dê munição ao canalha, que momentaneamente está livre, mas carregado de culpa.”