O presidente Jair Bolsonaro  afirmou nesta terça-feira (28) que é “inadmissível” o ministro em exercício da Casa Civil, Vicente Santini, ter viajado em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) até a Índia.

No exercício do cargo, Santini tem o direito de usar o avião da FAB, mas a atitude não agradou Bolsonaro, que conversou com jornalistas na manhã desta terça na entrada do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência.

“Inadmissível o que aconteceu. Já está destituído da função de executivo do Onyx. Decidido por mim”, declarou o presidente.

Segundo Bolsonaro, ele ainda vai conversar com o ministro titular da pasta, Onyx Lorenzoni, que está de férias, para ver “quais outras medidas podem ser tomadas” contra Santini. “É inadmissível o que aconteceu”, finalizou.

Santini foi a Davos, na Suíça, para participar do Fórum Econômico Mundial.  De lá, viajou até Nova Delhi para se juntar ao presidente.

A viagem, feita no avião da FAB, foi noticiada pelo jornal O Globo. Santini viajou na companhia de mais duas servidoras: Martha Seillier, secretária do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), e Bertha Gadelha, diplomata e assessora internacional do PPI.

O uso do avião deixou Bolsonaro irritado devido à imagem que poderia passar para a opinião pública. (Com informações do Estadão).