Bancada do PT na Alep repudia discurso odioso de deputado paulista

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Os parlamentares da bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) usaram a tribuna para repudiar o discurso do deputado estadual Frederico D’Avila (PSL-SP) que fez uma série de ofensas ao arcebispo de Aparecida, dom Orlando Brandes, à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e ao Papa Francisco em seu discurso na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) na última quinta-feira (14). D’Avila chamou os religiosos de “safados”, “vagabundos” e “pedófilos”.

Líder da bancada, o deputado Tadeu Veneri disse que a Assembleia Legislativa precisa se manifestar sobre as ofensas e xingamentos proferidos pelo deputado Frederico D’Ávila. O parlamentar afirmou que “não há legitimidade para discurso de ódio, isso é crime e como crime deve ser tratado”.

“Eu espero que a Unale se manifeste, vamos propor na sessão plenária desta terça-feira que a Assembleia Legislativa do Paraná também se manifeste. Enquanto parlamentares, apesar de termos na tribuna a liberdade de falarmos aquilo que julgamos correto, não há legitimidade para discurso de ódio, isso é crime e como crime deve ser tratado. Eu não tenho dúvidas de que esse deputado vai perder o mandato. O decoro parlamentar faz parte das regras de qualquer parlamento. O deputado Frederico D’Ávila quebrou o decoro e a consequência deve ser a cassação do seu mandato”.

Líder da oposição, o deputado Professor Lemos destacou que a bancada irá apresentar amanhã um requerimento de envio de expediente ao presidente do Poder Legislativo de São Paulo, Carlão Pignatari (PSDB), solicitando punição ao deputado do PSL.

“Vamos apresentar amanhã um documento, e já peço apoio de todos os deputados e deputadas, que será encaminhado ao presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo solicitando providências urgentes. Que isso não se repita. Não pode haver ataques como este contra nenhuma liderança religiosa, de nenhuma igreja. É um desrespeito, é um crime. Fica nosso repúdio e nosso pedido de providências urgentes”.

A deputada Luciana Rafagnin manifestou preocupação com a fala do deputado e se solidarizou com a igreja católica e com os líderes religiosos.

“É grande a nossa preocupação com a fala deste deputado. Acredito que ele não mediu as palavras na hora que proferiu as ofensas e nem a quem estava atingindo. Fica aqui a nossa solidariedade a toda a igreja e às lideranças católicas. Não podemos aceitar que um deputado baixe o nível dessa forma e dissemine ainda mais o ódio. Precisamos pregar o amor. O ódio destrói. O Amor constrói”

 

Deixe uma resposta