Audiência pública discute futuro do transporte coletivo de Curitiba

A Assembleia Legislativa do Paraná realiza nesta quarta-feira (12), a audiência pública “O futuro do Transporte Coletivo de Curitiba: rumos e desafios”, que tem por objetivo discutir como será o transporte público de Curitiba nas próximas décadas e garantir soluções que ampliem seu uso e sua qualidade. A audiência acontece no Auditório Legislativo, a partir das 14h30, de forma presencial e também com transmissão pelos canais da Assembleia.

“O atual contrato do transporte coletivo de Curitiba se encerra e nova licitação será realizada em 2025, que valerá por 10 ou 20 anos. Então, estamos em um momento decisivo para discutir qual o modelo e de que forma deverá funcionar esse serviço público essencial”, disse o deputado estadual Goura (PDT), que é o proponente da audiência pública.

Segundo o deputado, o contrato vigente está sub judice a partir de ação do Ministério Público do Paraná (MP-PR), que provavelmente não terá o mérito julgado até o seu encerramento. “Por isso, a importância dessa audiência. Não podemos admitir que o sistema de transporte público de Curitiba, que já foi modelo mundial nesse aspecto, siga estagnado e perdendo passageiros todos os anos.”

Participantes

Foram convidados a participar da audiência pública “O futuro do Transporte Coletivo de Curitiba: rumos e desafios” representantes da Prefeitura de Curitiba, Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setransp) e do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES).

Estão confirmados o presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores (Sindimoc), Anderson Teixeira; o vereador e presidente da Comissão Especial de Transporte da Câmara de Curitiba, Herivelto Oliveira; o engenheiro e pós-graduado em Mecânica dos Fluidos pela Poli-USP, Lucio Gregori; o doutor em economia e pesquisador do transporte e ativista pela tarifa zero Lafaiete Neves; a engenheira civil e doutora em Engenharia de Transportes pela Universidade de São Paulo, Tainá Andreoli Bittencourt.

Também participam o professor do Departamento de Transportes e dos Programas de Pós-Graduação em Planejamento Urbano (PPU) e Políticas Públicas Universidade Federal do Paraná (UFPR); o coordenador do Centro de Estudos em Planejamento e Políticas Urbanas (CEPPUR/UFPR), José Ricardo Vargas de Faria; a educadora popular e ativista do movimento Tarifa Zero, Ana Clara e o doutorando em Sociologia pela UFPR, membro do Núcleo de Estudos Paranaenses (NEP) da UFPR, Fernando Marcelino Pereira.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui