Antiga Brahma não pode ser caso de polícia

O governo estadual mudou de planos: as antigas instalações da cervejaria Brahma, no bairro Rebouças, não mais serão ocupadas pela Escola de Música e Belas Artes e pela Faculdade de Artes do Paraná, como se previa no projeto original. Após quatro meses do atual governo, a ideia agora é usar a estrutura de 36 mil metros quadrados instalar a Cidade da Polícia – um complexo que pretende unir num só espaço toda a cúpula de comando e administrativa dos órgãos da Segurança Pública.

A área foi transferida para o estado em 2012, durante o governo Beto Richa, numa negociação que envolveu a concessão de incentivos fiscais para a construção da nova fábrica da Ambev, controladora da da marca Brahma, em Ponta Grossa.

As negociações foram concluídas no final do ano passado, quando a então governadora Cida Borghetti assinou a escritura pública de posse da área como propriedade do estado.

Embora não previsto formalmente em documento, o governo da época incluiu a área na negociação com a intenção de fazer ali um complexo educacional e cultural e, assim, resolver uma antiga demanda das escolas e contribuir para revitalizar aquela região da cidade.

O governo Ratinho anuncia agora a intenção de instalar Cidade da Polícia, promessa repetida durante toda a campanha eleitoral, mas que mencionava que ocuparia o Palácio das Araucárias, onde dormiam “secretarias burocráticas”. Viu-se logo que o Araucárias era lugar errado para unir as polícias, mas ainda não se percebeu que a antiga Brahma também não é o lugar certo.

Situados no Rebouças ou em suas adjacências, já funcionam setores da UFPR, da Universidade Tecnológica do Paraná, PUC, Teatro Paiol, Fundação Cultural de Curitiba e outras instituições culturais e de ensino – o lugar seria mais apropriado para servir de um centro cultural e receber outras escolas que há décadas reclamam instalações mais adequadas, como a Belas Artes e a Faculdade de Artes. E não para ser um caso de polícia.

2 COMENTÁRIOS

  1. Creio que os evangélicos, vizinhos do prédio da Brahma vão impor ao roedor suas vontades. Afinal esse povo gosta mais dos quartéis do que de escolas e universidades. Cultura para esses pastores é coisa de degenerados. E viva a barbárie.

  2. Acho uma ótima ideia transformar o local em uma mega estrutura de segurança pública! Não que a educação e cultura não mereçam, porém a estrutura atual da PM e da PC já não atendem mais e, o localização é estratégica para a “Cidade da Polícia” ou algo do gênero. Parabéns ao Governador Ratinho!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

%d blogueiros gostam disto: