1984: o comício das Diretas em Curitiba

12 de janeiro de 1984. Exatamente há 33 anos Curitiba era sede do primeiro comício das Diretas Já, movimento histórico que pretendia interromper as duas décadas em que a ditadura militar impedia a escolha dos presidentes da República pelo voto popular direto.

Entre 30 e 60 mil pessoas acorreram à Boca Maldita para ouvir a pregação dos grandes líderes do movimento, dentre os quais o presidente do PMDB nacional, deputado Ulysses Guimarães, os governadores Tancredo Neves, Franco Montoro e José Richa, o senador Alvaro Dias e o deputado Dante de Oliveira, autor da emenda constitucional que devolveria a eleição direta.

Comícios idênticos se repetiram daí em diante em todas as capitais e grandes cidades brasileiras, mas a emenda não foi aprovada pelo Congresso.

De novo, a eleição seria decidida pelo voto apenas de deputados e senadores em novembro de 1984. Eram candidatos Tancredo Neves e Paulo Maluf. Ganhou Tancredo, que, doente, não chegou a tomar posse em 15 de março de 1985. Com sua morte em 21 de abril seguinte, assumiu a presidência definitivamente o vice José Sarney.

Este vídeo, guardado no acervo do jornalista José Wille, do Portal História Brasileira, retrata a euforia. É uma reportagem feita pelo repórter Narciso Assunção (já falecido) para a TV Bandeirantes, Canal 2. Ele retrata o início de uma etapa da história brasileira cujos efeitos são sentidos até hoje.

2018-01-15T08:42:00+00:00 12 janeiro - 2018 - 22:54|Do baú, Política|4 Comentários


4 Comentários

  1. Eduardo Pereira. 13 de janeiro de 2018 em 07:08 - Responder

    Bela lembrança D. Ruth. Pena que para muitos são só lembranças. Parece que foi em vão tudo isso. O direito de votar para Presidente, tão dificilmente conquistado, foi jogado na privada pelos que nunca deram muito valor ao jogo democrático.

    Ouvi falar que Curitiba foi escolhida para o começo da mobilização 1 – pela presença do Jose Richa no governo e 2 – Por avaliarem que Curitiba seria um bom termômetro para se avalizar o grau de descontentamento com o governo federal e o nível de mobilização com as Diretas Já visto que se o curitbano sempre foi dificil de se engajar ativamente

    A campanha pela derrubada da Dilma foi totalmente feita com o conluio midia-judiciário, ou seja , o curitibano nadou e foi empurrado a favor da corrente ao contrário de 1984 onde a globo por exemplo escondia que havia as Diretas Já

  2. Tenente-Coronel Assunção 13 de janeiro de 2018 em 09:10 - Responder

    Foi uma grande conquista do povo brasileiro. Pena que, até hoje, a grande maioria dos eleitos não correspondeu às nossas expectativas. Uma parte importante da classe política colocou seus interesses particulares acima dos interesses do país é nosso querido Brasil agoniza em crises éticas e econômicas. Há décadas conquistamos o direito de eleger nossos representantes, falta agora aprendermos a escolhe-los.

  3. Renato 13 de janeiro de 2018 em 09:15 - Responder

    Saudades desses políticos que deram a entrevista, porque os revolucionários Lula, José Dirceu, Dilma foram um fracasso no poder.

  4. Parreiras Rodrigues 13 de janeiro de 2018 em 13:09 - Responder

    Consegui, graciosamente, a cessão dum ônibus da Viação Garcia para o transporte dos participantes lá da minha Sanzabel do Ivai.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Contraponto. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Contraponto se reserva os direitos de não publicar e de eliminar comentários que não respeitem estes critérios.

Deixe uma resposta