Revelações de empresário sobre Flávio Bolsonaro abrem nova crise política

A revelação feita pelo empresário Paulo Marinho de que o senador carioca Flávio Bolsonaro, filho do presidente da República, foi avisado por um delegado da Polícia Federal (PF)  de que seu então assessor Fabrício Queiroz seria alvo de investigação na Operação Furna da Onça elevou o nível de tensão da crise política. Marinho, que foi um dos principais colaboradores da campanha de Jair Bolsonaro  e é suplente de Flávio, deverá prestar depoimento À PF  no inquérito que apura a denúncia feita pelo ex-ministro Sergio Moro  de que o presidente tentava interferir politicamente na PF.

Segundo o empresário, Flávio contou a ele que a operação, que seria realizada entre o primeiro e o segundo turno, foi adiada para não prejudicar a campanha de Bolsonaro em 2018. A oposição anunciou nesse domingo (17)  que vai entrar com representação contra o senador na Comissão de Ética do Senado e pedir uma CPI. Autores de pedidos de impeachment pretendem reforçar seus argumentos para tentar levar o processo adiante. Também será apresentado pedido de anulação das eleições sob a alegação de que houve fraude eleitoral.

Queiroz era funcionário de Flávio no seu gabinete de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) e é investigado por acusações de rachadinha e desvio de dinheiro público na Alerj. O senador é suspeito de se apropriar de parte do salário de seus funcionários na época.

De acordo com Marinho, Flávio também teria sido avisado pelo delegado em questão de que deveria afastar Queiroz preventivamente. O ex-policial e a filha, que também era funcionária do gabinete na Alerj, foram exonerados em 15 de outubro de 2018.

Segundo o empresário, que é presidente do PSDB no Rio e pré-candidato a prefeito, as conversas podem “explicar” o interesse de Bolsonaro em controlar a Superintendência da PF no Rio, causa primeira dos atritos que culminaram na saída de Sérgio Moro do Ministério da Justiça e Segurança Pública. O caso foi revelado por Marinho em entrevista à colunista Monica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

Nota de Flávio – Em resposta às acusações, a assessoria do senador Flávio Bolsonaro disse haver interesse político por trás das falas de Paulo Marinho. “Ele sabe que jamais teria condições de ganhar nas urnas e tenta no tapetão”, diz nota distribuída pelo gabinete do senador.

“O desespero de Paulo Marinho causa um pouco de pena. Preferiu virar as costas a quem lhe estendeu a mão. Trocou a família Bolsonaro por Dória e Witzel, parece ter sido tomado pela ambição. É fácil entender esse tipo de ataque ao lembrar que ele, Paulo Marinho, tem interesse em me prejudicar, já que seria meu substituto no Senado. Ele sabe que jamais teria condições de ganhar nas urnas e tenta no tapetão. E por que somente agora inventa isso, às vésperas das eleições municipais em que ele se coloca como pré-candidato do PSDB à Prefeitura do Rio, e não à época em que ele diz terem acontecido os fatos, dois anos atrás? Sobre as estórias, não passam de invenção de alguém desesperado e sem votos”.

1 COMENTÁRIO

  1. Vocês já pensou o que vai ser quando FALAR os sócios-proprietário da empresa JUMBO de Assaí ,Marcos Bontempo e Neuza Bontempo , que ( segundo o MP) roubaram R$ 5,7 milhões de reais em energia elétrica da COPEL através de um gato? ART 155 cpp , o advogado deles pediu pra não responder por roubo, mas sim estelionato k k k k k kkk . Essa empresa é a mesma que pagou dinheiro pro André Vargas por causa de um contrato com a ENGEVIX (LAVA-JATO) esse contrato frio foi apreendido e nada aconteceu . É a mesma empresa que deve mais de R$ 100 milhões de reais em Imposto e trubuto federal ; isso sem falar em sonegação de ICMS e da correlação dos donos com a Operação Publicano , essa operação aí que abafaram e não deu em nada . Isso sem falar dos milhões que nao foram pagos de acertos e FGST ; isso sem falar das clinicas do genro do Tuti e da neuza ; isso sem falar dos R$ 30 mil por mês só pra filha ; Esse povo sim è os verdadeiros operador de Assaí. E o marido da Neuza o Tuti que fizeram divórcio frio será candidato A prefeito pelo PSD com apoio dos vereadores amarildo elcio zé takasaki simoes . Com apoio da máquina estadual . Se o gaeco bater na Jumbo a Publicano pode ganhar força, a lava-jato vai entrar direto dentro da empresa e muita coisa de muitos e muitos anos vai estourar . Esses sim sao os OPERADOR . E é coisa forte .

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui