Início memória Morre em Curitiba o médico Hélio Germiniani, expoente da cardiologia

Morre em Curitiba o médico Hélio Germiniani, expoente da cardiologia

O Conselho Regional de Medicina do Paraná registra com pesar o falecimento do médico e professor Hélio Germiniani (CRM-PR 2.427), um dos principais expoentes da cardiologia no país, tendo sido presidente da Sociedade Paranaense de Cardiologia e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Ele morreu no fim da noite dessa terça-feira (31) no Hospital Marcelino Champagnat, em Curitiba, onde estava internado havia vários dias. Tinha 88 anos de idade e 63 de formação médica.

Era viúvo da Prof.ª Dra. Clotilde de Lourdes Branco Germiniani, a primeira mulher catedrática em um Curso de Medicina Veterinária no Brasil e que faleceu no início de março de 2018 em Curitiba; e pai do neurologista e intensivista Dr. Francisco Manoel Branco Germiniani (CRM-PR 16.908).

Hélio era professor titular da Universidade Federal do Paraná  (UFPR) e médico voluntário do Hospital de Clínicas. Foi membro-fundador e presidente da Academia Paranaense de Medicina, conselheiro e vice-presidente do Conselho de Medicina do Paraná, membro-fundador da Sociedade de Terapia Intensiva do Paraná (Sotipa) e membro da Comissão Científica da Associação Médica do Paraná, dentre outras inúmeras funções que desempenhou.

O dr. Hélio Germiniani deixa importante legado de conhecimento, tendo vasta produção científica, traduzida por livros, artigos e ensaios, além de ter participado e coordenado inúmeros eventos em todo o Brasil. Era poliglota e estudioso da música, com especial dedicação à clássica e ópera.

Em reconhecimento ao seu trabalho em várias frentes, o dr. Hélio Germiniani recebeu inúmeras condecorações e prêmios, uma delas o Diploma de Mérito Ético-Profissional do CRM-PR, na passagem do Jubileu de Ouro. Em meio às comemorações do Dia do Médico de 2008 ele recebeu a comenda pelas mãos do filho médico, Dr. Francisco Manoel Germiniani. Recebeu inúmeras homenagens de formandos e especializandos da UFPR e recebeu menção de louvor da Câmara Municipal de Curitiba  (CMC) “pelos relevantes serviços prestados à comunidade curitibana”.

Ele fundou o Serviço de Eletrocardiografia do Complexo Hospital de Clínicas (CHC), onde foi professor de cardiologia de 1961 a 2003. Também atuou no Departamento de Farmacologia, entre 1972 e 2002. Durante sua trajetória, recebeu inúmeras homenagens de formandos e da UFPR e recebeu menção de louvor da Câmara Municipal de Curitiba “pelos relevantes serviços prestados à comunidade curitibana”.

A morte do eminente médico e professor teve grande repercussão no Estado, atestando o respeito à sua história. O presidente do CRM-PR, Roberto Yosida, ao lamentar a perda, destacou a trajetória do Dr. Hélio enquanto médico, professor e líder de várias frentes médicas, sendo legítimo exemplo às futuras gerações. O presidente do Conselho acentuou ainda a marcante atuação do colega na formação de tantos especialistas nas áreas que abraçou. O presidente da Academia Paranaense de Medicina, Renato Araújo Bonardi, também emitiu nota de pesar.

O ex-presidente da Sociedade Paranaense de Cardiologia, Joao Vítola, registrou: “Professor Germiniani foi um médico curioso. Inovador quando poucas ferramentas havia para o diagnóstico de doença cardíaca. Tinha uma cultura avançada. A nós, alunos, ensinou farmacologia, eletrocardiografia, vetocardiograma e um bocado de cardiologia. De sobra, ensinava música clássica e opera que a maioria de nós não possuía o refinamento suficiente nem para entender. Quando muito estava por ser feito aqui, foi para longe e buscou novos conhecimentos no instituto de cardiologia do México. Hoje chamado de fundação Ignácio Chaves. Estive lá há poucos anos e me perguntaram se eu conhecia o professor Germiniani de Curitiba. Uns 60 anos se passaram e ele é também por lá permanece uma lenda! Deixou um legado e seu filho, nosso colega Francisco. Era grande e continuará a ser lembrado e homenageado. Era nosso! Paz, amor e alegrias em suas vidas.”

O dr. Hélio Germiniani era natural de Itajubá (MG), onde nasceu em 21 de maio de 1933. Formou-se pela Universidade Federal do Paraná em dezembro de 1958, tendo entre os colegas os drs. Zacarias Alves de Souza Filho, Saly Maria Bugmann Moreira, Antonio Celso Nunes Nassif , Diniz Mehl Andrusko, Lutfalla Farah, Ogamar Alvin Soares Linhares, Theodoro Busso Beck e Ildefonso Amoedo Canto, dentre outros. Depois de formado, seguiu para São Paulo, onde se registrou no CRM-PSP sob o número 8.908. Fez residência em Cardiologia no Instituto de Cardiologia de São Paulo e depois Fisiologia Cardíaca no Instituto Nacional de Cardiologia do México, dentre outras especializações. (Do CRM-PR).

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile