Início Justiça Justiça proíbe que caminhoneiros façam bloqueio ou tumulto nos serviços do grupo...

Justiça proíbe que caminhoneiros façam bloqueio ou tumulto nos serviços do grupo Rumo

A Justiça Federal de Curitiba proibiu o bloqueio das manifestações por ocasião do movimento grevista previsto a partir desta segunda-feira (1).  A decisão  da juíza federal Giovanna Mayer, durante o regime de plantão no fim de semana, determina que os caminhoneiros se abstenham de causar tumulto, depredação, bloqueio ou ocupação dos bens envolvidos na execução do serviço concedido à empresa Rumo.

A ação proibitória foi ajuizado pelas empresas do grupo Rumo –  Rumo Malha Oeste S/A, Brado Logística S/A e Rumo Malha Sul S/A – , em face do movimento de paralisação deflagrado pela Associação Nacional de Transporte no Brasil e Liberdade e Trabalho (ANTB), Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC) e Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte e Logística (CNTTL).

A  Rumo alegou que na condição de concessionária de serviço público referente a malha ferroviária, está obrigada a zelar pelo patrimônio público, sendo que os meios de comunicação têm divulgado a intenção de caminhoneiros de realizarem a greve. A autora da ação solicitou também “impedir que réus pratiquem quaisquer atos de turbação ou esbulho sobre toda a área ferroviária de concessão das autoras, no trecho sob concessão”.  (Da Justiça Federal).

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile