Início memória José Tavares, ex-secretário da Segurança Pública e da Justiça, morre de covid-19

José Tavares, ex-secretário da Segurança Pública e da Justiça, morre de covid-19

O ex-secretário de Justiça e da Segurança Pública do Paraná e ex-deputado federal José Tavares da Silva Neto, morreu nesta terça-feira (22) aos 72 anos, de complicações da Covid-19. A informação foi confirmada pelo presidente da Assembleia Legislativa (Alep), deputado Ademar Traiano (PSDB) na sessão desta terça da Casa.

Ele nasceu em Bela Vista do Paraíso (PR), no dia 22 de maio de 1949, filho de João Tavares da Silva e de Isaura Brás Tavares.Formou-se em direito pela Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais da Universidade Estadual de Londrina, em 1973. Foi delegado de polícia

Em 1978, disputou uma vaga na Assembléia Legislativa do Paraná (Alep)  pelo MDB, partido que congregava as forças de oposição ao regime militar instaurado no país em abril de 1964. Eleito com os votos dos municípios de Londrina, Arapongas, Astorga e Sertanópolis, tomou posse em fevereiro de 1979. Com o fim do bipartidarismo, em novembro daquele ano, e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao PMDB, que deu continuidade à linha política do MDB. Na Alep, atuou como presidente da Comissão de Segurança Pública e titular da Comissão de Constituição e Justiça.

Em novembro de 1982, elegeu-se deputado federal. Em 25 de abril de 1984, votou a favor da emenda Dante de Oliveira, que propunha o restabelecimento de eleições diretas para presidente da República em novembro daquele ano. Porém, a emenda foi rejeitada. No Colégio Eleitoral, reunido em 15 de janeiro de 1985,  votou em Tancredo Neves, candidato da Aliança Democrática . José Tavares elegeu-se deputado federal constituinte em 1986.

Com a promulgação da nova Constituição, em 5 de outubro de 1988, continuou no exercício regular de seu mandato. Em outubro de 1990, candidatou-se a deputado estadual. Eleito, deixou a Câmara em janeiro de 1991, ao final de seu mandato.

No ano seguinte, a convite do governador Roberto Requião, assumiu a Secretaria de Justiça do Paraná, cargo em que permaneceu até 1994. Em outubro, reelegeu-se deputado estadual. Durante 1998, já no governo de Jaime Lerner, esteve à frente da Secretaria de Proteção e Defesa do Consumidor. Neste mesmo ano, filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Deixou a Assembléia Legislativa em janeiro de 1999 e logo depois foi nomeado secretário de Justiça do segundo governo de Jaime Lerner. Também foi secretário da Segurança Pública no fim do governo Lerner.

Casou-se com Marilene Tozoni Tavares da Silva com quem teve três filhos.

Morte lamentada

Durante a sessão plenária desta terça-feira (22) da Assembleia Legislativa do Paraná, o presidente, deputado Ademar Traiano (PSDB) comunicou o falecimento do ex-deputado, estadual e federal, e ex-secretário de Estado, José Tavares, aos 72 anos. “Faço aqui um registro de muita tristeza. Acabamos de receber a informação de que um parlamentar, que fez história no estado do Paraná, como constituinte, passou por essa Casa como deputado estadual. Brilhante orador, um dos grandes oradores que conheci no estado. Foi secretário de Defesa do Consumidor, de Segurança e de Justiça. Nosso querido José Tavares. Um homem que construiu uma história brilhante no nosso estado, que acaba de falecer de Covid-19. Um homem que fez história, digna e merecedora do nosso respeito. Muito triste a notícia e quero, em nome do Poder Legislativo externar nossas condolências à família”, disse Traiano.

O primeiro secretário da Assembleia, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), também se somou ao voto de pesar ao ex-parlamentar. “Me associo ao voto de pesar do grande militante a favor da democracia, que combateu a ditadura, que significou muito para uma geração de londrinenses e paranaenses pela sua obstinada e permanente militância em favor de todos aqueles que defendiam o estado democrático de direito. Uma figura extraordinária. Uma pessoa que tinha opiniões e que toda uma geração sempre respeitou muito. Uma perda muito grande para a sociedade. É mais uma vítima que, infelizmente, essa pandemia ceifa”.

“Foi um grande deputado, um secretario muito habilidoso e sem sombra de dúvida deixa um legado muito grande”, disse o deputado Anibelli Neto (MDB).

Os líderes da Oposição e do Governo, deputados Professor Lemos e Hussien Bakri (PSD), respectivamente, também expressaram sentimento pelo falecimento de Tavares. “Externo aqui nossos sentimentos e votos de pesar à família enlutada e aos amigos do ex-deputado e ex-delegado”, disse Lemos. “Da mesma forma, a Liderança do Governo se associa ao voto de pesar em nome do nosso Governo”, disse Bakri.

Nestor Baptista

O falecimento nesta terça-feira do ex-deputado e ex-secretário da Justiça, José Tavares, aos 72 anos, por complicações da Covid-19, foi lamentada pelo conselheiro do Tribunal de Contas, Nestor Baptista. “Perde o Paraná um homem que foi um exemplo de político e servidor público, com quem convivi desde a infância e que teve sua vida marcada pela honestidade e defesa do bem público”, destacou Nestor, que se elegeu deputado estadual com Tavares em 1.978 e foi seu companheiro de partido. Formado em Direito pela Universidade Estadual de Londrina, chefiou o gabinete do prefeito da cidade e foi delegado de polícia em Londrina de 1969 a 1977. Foi eleito deputado estadual pelo MDB e entre 1983 e 1987 foi deputado federal constituinte, sendo reeleito em 1987. Entre 1992 e 1994 foi Secretário de Justiça do Paraná durante o governo Roberto Requião

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile