Início Política Deputado alerta para a extinção do pinheiro e pede mudança na legislação

Deputado alerta para a extinção do pinheiro e pede mudança na legislação

O deputado estadual Emerson Bacil (PSL) defendeu nesta quarta-feira (5) a mudança na legislação para permitir o uso sustentável do pinheiro araucária, símbolo do Paraná. Caso contrário, disse, a espécie caminha para a extinção. Ele lembrou que o desestímulo é grande, tanto que pinheiros pequenos são cortados diante da impossibilidade do manejo e uso sustentável

Bacil disse que é importante ouvir a sociedade e discutir com órgãos do setor e ambientalistas, uma saída para evitar o desastre total. Segundo ele, a legislação que condena atualmente pessoas de bem que preservaram os pinheiros e florestas, impedindo manejo sustentável, precisa ser revista. Este é o entendimento do deputado.

Sobre a devastação e redução de pinheiros, com rumo à extinção, o parlamentar aponta a responsável. “A Lei que aqui está é a principal culpada de tudo isso”, argumentou. Não há possibilidades, dentro da legislação, de manejo e sustentabilidade o que poderia renovar e dar sobrevida aos pinheiros. “Corta um, planta dez. Em pouco tempo teríamos a ampliação das florestas”, frisou.

O deputado salientou que pessoas que exploram de forma ilegal seguem da mesma forma. O problema incide, justamente, nos pequenos e pessoas de bem. “Multar e colocar os agricultores aos olhos da Lei, como criminosos”, é o que a legislação tem feito. “Se não mudar a Lei, vai extinguir a espécie símbolo do Paraná”, afirmaou com base numa tendência natural por conta disso.

Emerson Bacil observou que os agricultores vão mudar a consciência, na sua maioria, quando houver  permissão de manejo. “O pinheiro também envelhece, as florestas têm de ser renovadas”, complementou.

 

4 COMENTÁRIOS

  1. Manejo!!! Sinto muito deputado, aí na assembleia sempre tivemos os representantes da motoserra. A legislação deve proibir terminantemente o corte., com raríssimas exceções. Alias parece não estar proibido o reflorestamento que revelou-se não econômico, pois a demora inviabiliza a taxa de retorno. Se não dá para explorar então não pode cortar, simples….

  2. Perfeita a colocação do deputado. A visão dos ambientalistas é muito equivocada, preserva os atuais. Mas ao impedir o manejo e criminalizar o corte desestimula novos pinheiros. Com o tempo, por óbvio, a extinção! Como sempre, ambietntalistas pensando com o coração e não com a razão

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile